Preservação da água e arte do grafite juntos em Marabá

Em Marabá, no sudeste do Pará, cerca de 35 alunos da Escola Doralice Vieira, participaram de uma oficina de grafite que tinha como tema: “Água”. A oficina faz parte do Comitê Ambiental Escolar, desenvolvido pela Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa).

A diretora da escola, Maria da Consolação, fez um balanço positivo da oficina, pois além de aprenderem um pouco mais sobre a arte, os alunos tiveram a oportunidade de colorir o espaço que os acolhe todos os dias. “Pra nós é muito gratificante receber esse projeto, até mesmo porque a escola está com alguns problemas de revitalização. Algumas partes estavam com as cores saindo, com umas rachaduras na parede, e a oficina veio bem a calhar no momento. A gente conseguiu dar uma nova cara para a escola”, contou.

Os alunos foram estimulados a economizar a água e tiveram aulas teóricas sobre a preservação desse recurso tão precioso, por meio dos desenhos do grafite. E também entenderam a diferença entre grafite e pichação, como conta o pequeno Saimon: “Eu gostei muito dessa oficina, porque a gente sabe desenhar e aprendemos a aperfeiçoar. E a diferença entre pichação e grafitagem é que a pichação fala sobre palavras ofensivas, e são fora da lei. Mas, o grafite ensina algo, tem uma mensagem. E os desenhos explicam que não podemos desperdiçar água”.

O artista visual, Bino Souza, responsável por ensinar um pouco da arte do grafite para os alunos, destacou a importância dessa atividade dentro do ambiente escolar. “Eu acredito que é muito válido poder trabalhar o grafite na sala de aula. Para os alunos poderem entender o que é o grafite, o que é pichação, como as duas coisas se desdobram. É uma técnica super interessante de se trabalhar, porque faz os alunos trabalharem o desenho, a percepção e pensar nessas formas de como poder melhorar o seu espaço. E o grafite é isso, é essa mudança de espaço, diferenciação do espaço urbano e trazer isso pra dentro da escola é essencial”, ressaltou.

A atividade teve carga horária de oito horas e aconteceu de 25 a 28 de março. A iniciativa foi aprovada e bem recebida por alunos e professores. “Essas atividades despertaram o interesse deles pela pintura, na aula de arte eles já estão mais interessados e focando tudo nesse lado da conscientização”, disse a professora Patrícia Lira.

O aluno Andrey Alves elogiou as dinâmicas propostas e contou que queria participar de mais eventos como esse: “Esse projeto é muito legal, eu gostaria que tivesse mais vezes para a gente pintar e estar aprendendo. Tem muitas coisas que são boas, a gente pinta cada desenho bonito”, contou empolgado o estudante.

A Companhia desenvolve muitos projetos voltados para a preservação da água e do meio ambiente, buscando conscientizar a comunidade escolar por meio de ações educativas como essa.

(Texto: Caroline Monteiro)

Compartilhar no: