Companhias de saneamento analisam impactos da Covid-19 no setor em videoconferência

Presidente das companhias estaduais de saneamento do país reuniram-se em uma conferência virtual para tratar da situação do abastecimento de água e atendimento de esgoto durante a pandemia de Covid-19 e analisaram estratégias que poderão ser adotadas a partir de agora para garantir a segurança dos colaboradores, dar continuidade aos serviços de operação e obras e ainda o equilíbrio das contas das empresas públicas.

A conferência foi realizada na tarde da última terça-feira, dia 26 de maio, e na pauta estavam: análise e impactos da Covid-19 nas empresas estaduais de saneamento; providências para este cenário; e as atualizações do Projeto de Lei nº 4.162/2019. Ao todo, 26 empresas estaduais integram a da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe).

O mediador da reunião foi o diretor-presidente da Aesbe, Marcus Vinícius Neves. O presidente da Cosanpa, José Antonio De Angelis, explicou as medidas que foram adotadas no Pará. “O esforço tem sido grande para manter o sistema em operação contínua. Ao mesmo tempo, estamos fazendo a troca das redes de cimento amianto por redes em PEAD, então isso causa um certo transtorno. O fato da Região Metropolitana de Belém ainda não ter setorização dificulta bastante a situação das paradas para retirada de vazamento e outros serviços inerentes à manutenção”.

Os presidentes das Companhias demonstraram preocupação com a inadimplência durante este período. A projeção para aumento no índice de inadimplência era em torno de 30%. Mas, em Belém, algumas áreas apresentaram até 50%. Os cortes continuam suspensos até o dia 16 de junho.

“Acredito que vamos superar este momento. Fizemos a instalação de pias solidárias para contribuir com o combate ao coronavírus, estamos programando novos projetos que possam beneficiar a população mais carente de água. Vamos trabalhar com o mesmo empenho para melhorar o atendimento à população e recuperar a empresa”, finalizou De Angelis.

Compartilhar no:
Companhias de saneamento analisam impactos da Covid-19 no setor em videoconferência